Quantas vezes por semana você pensa ou dialoga sobre estes assuntos? - Universo - Amor - Aborto - Guerras - Sexo - Poluição - Drogas - Poder - Células - Morte

quinta-feira, 5 de julho de 2007

O Início

Caros amigos...mais um ser vivo neste planeta amontoado de pessoas teve a brilhante idéia de começar mais um blog. Que bosta! O pior de tudo é o conteúdo deste blog...eu não tenho certeza se tenho algo interessante para dizer. Não sou o Gerald Thomas, ou Ruy Filho, ou Harold Bloom e nem muito menos o Arnaldo Jabor.


Porque esta necessidade de escrever? Talvez porque um pensamento que não sai da nossa cabeça não é nada, não repercute em nada...nada é nada.


Ontem a tarde fui até o CCBB, lá no centro (como é legal caminhar pelo centro de São Paulo). Fui assistir uma peça de teatro chamada ´O Poço´ escrito pela Alexandra Golik e atuado por ela e Carla Candiotto. Fui convidado a ver elas pela minha querida produtora Fernanda Signorini, que atualmente produz estas duas atrizes. Saibam todos que estou com ciumes. Ao receber o programa da peça pela atraente funcionária do CCBB chamada Renata, comecei a ler este e me deparei com um espelho. A formação teatral e os amigos em comum da Europa são os mesmos. Enquanto assistia ao espetáculo, diga-se de passagem, muito interessante, eu não conseguia parar de pensar:


- Como é que eu vou fazer elas acreditarem que somos espelhos. Apesar delas serem um pouco mais atraentes do que eu.


No término do espetáculo eu consegui. Elas disseram:


-Ah! você é o Pancho.


Pronto tudo ficou mais fácil. Conversamos por um longo tempo como se nos conhecessemos há anos. Que loucura! Como diria o Gerald.


Bem...estão vendo como escrevo mal...já cansei. A história acabou...apesar de atualmente estar começando o prêmio nobel de literatura ´Diário de minhas putas velhas´ do Gabriel, parece que não aprendo muito.


Saí do CCBB, fui até o estacionamento, paguei a loucura de R$ 12, e me chamou a atenção que devido à nova lei do nosso Excelentissimo Prefeito lingua plesa Kassab - Lei Cidade Limpa -, dentro do estacionamento, havia uma enorme placa de aproximadamente 8 metros de comprimento. Que dizia: ESTACIONAMENTO. Não muito útil.


Porque no final da Av. Paulista - Paraiso há um enorme anúncio com luz do Banco Bradesco, em cima de um prédio, estilo aquele do Banco Itaú em cima do Conjunto Nacional? Será que a ´multa´ que o Bradesco paga a Prefeitura ´convém´ ou ´semvém´ aos cofres públicos? Autoridades estou esperando um resposta ainda hoje.


Não esqueçam de chutar um chiwawa por dia...vá em frente...a culpa catôlica não está com nada.


Tenhamos todos um bom dia e até amanhã

6 comentários:

Anônimo disse...

rtrhgttttfabiola

Mari Leme disse...

Pancho...Que loucura!!! Este é só o início, escreva mto, solte o verbo. Beijos.

Flávia disse...

Querido, eu também tô começando um blog. O meu é siricotico.blogspot.com, mas ele só vai estar ativo depois que eu voltar de férias. Um beijão!!!

Anônimo disse...

QUE FOTO HEIM MEU BEM.
ADOREI ESCREVA MUITO É ÓTIMO.

Fabíola disse...

É isso aí Panchito!!Mostre o que você tem a dizer, diga o que você tem pra mostrar! hehe...essa é a melhor forma de ampliar os pensamentos. Bjos, Fab:o)

Ruy Filho disse...

Bem-vindo à blogsfera. Terra de ninguém e, por isso, de todos. Sem donos (isso é possível, duvido!). Ao menos sem patrão.
Concordo plenamente quando diz que o pensamento não existe em si se não jogado para os outros.

Quanto ao Kassab... Hum...

Não é curioso que no mesmo momento em que o Governo Federal institui classificação indicativa, aqui tenhamos a comunicação cerceada em nome de uma limpeza estética (extremamente necessária, é verdade)? A curiosidade que me atinge está principalmente no "letreiro do bradesco". Você percebeu que, no fim, a lei atingiu principalmente as fachadas de espaços culturais?

O itaú cultural teve que arrancar seu letreiro, mas o letreiro sobre o Conjunto Nacional, este pode permanecer...

Tempos estranhos esses...

Beijos